Sobre as lembranças que retornam com força

navegantesQuatro horas da manhã e foi assim, de repente, que eu me lembrei de você.

E por que eu não lutei por você? Por que eu passei por cima do meu desejo com minhas morais libertinas, morais libertárias, que me diziam, respeite o desejo do outro, da outra! E foi assim que eu te respeitei, mas o que você queria era alguém abusado pra romper aquele seu mundo cinza, alguém que não respeitasse aquela promessa vazia que você fez exatamente para ser quebrada.

Mas agora, eu estou aqui; bebendo cerveja e morrendo.

É neste exato momento que eu posso sentir aquelas emoções, apesar de não sentir nada na maioria das vezes.

É por isto que eu estou aqui, às quatro horas da manhã fingindo que a poesia me salva do medíocre mundo que eu inventei para mim e que você definitivamente consolidou no meu coração de madrugada.

(R. Vendetta Soto Mayor fala sobre o amor que ele perdeu)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: