Corpos sem Medo

Daquele modo, o mesmo que nunca combinávamos de antemão ou que de nenhuma maneira treinávamos, conseguiámos funcionar maravilhosamente bem, à despeito de em nosso ceticismo cotidiano não acreditarmos bem, como uma coisa que nunca foi treinada ou planejada pode funcionar de forma tão perfeita, tão harmoniosa e tão honesta quanto nossos corpos funcionavam quando encontravam-se.

Mas se algo funciona, funciona normalmente por um objetivo, e nós, iconoclastas natos, não tínhamos nenhum: acariciávamo-nos, beijávamos nossas frontes e empoleirávamos nossas pernas e braços, e dedos, e desejos, e íamos montando toque sobre toque, derme sobre derme, aquele castelinho de cartas que caía como um assoprão à cada orgasmo mais forte. E eram seis ou sete ou onze por noite(acreditem os céticos), mas retornavam com aquela fome mútua que nos permitia esquecer as roupas e as ansiedades no chão; e então voltávamos a buscar mais orgasmos de maneira perfeita e harmônica  e nossos corpos se encontravam novamente naquela penumbra, quando a coisa toda, então deixava de ser uma promessa para virar uma orquestra.

E sim, era aí roja, era aí roja, que a música dos corpos misturava-se à melodia do coração, era aí que o mundo dobrava-se naquele cômodo como uma coisa assim, tão fácil de ser guardada ao lado do coração.

Nos juntávamos como as cartas, e havia um ponto que o cômodo e o baralho de coisas cotidianas que faziam-nos distintamente diferentes traçavam a estrada que apontavam para as distâncias, para os quilômetros de geografias implacáveis, para aquilo tudo que chamavam nos intervalos do metrô de realidade.

E aí advinha aquela lembrança, só nossa, aquele suspiro, aquele olhar, aquele universo inteiro delineado naquele pedaço de mundo que nós chamamos de paixão; mas escute, escute, antes que mais alguma fé resolva calar nossos corpos, aquilo tudo, aquilo tudo era paixão, era uma paixão sem medo, pois paixão com medo a gente chamava na distância, era de rotina.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: