A poesia é um jogo

A chuva no quintal

Tinha teu nome

A saudade

Era escrita sobre a mesa

Na pausa do café,  o açucareiro

E a vontade de te abraçar

Junto do cheiro do jornal

Com aquela solidão largada

Que parecia dizer tudo

Mas escuta meu bem

Escute-me com meus lábios dormentes e profundamente poéticos

Esquece essa merda toda caralho!

Esquece, por que o mengão perdeu, perdeu!!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: