Quando foi que você enxergou o cinza?

Rafael Vendetta

Vou te dizer como estou agora (interprete isso como uma mensagem). Vou te dizer como estou. Depois de algum tempo, andando de tênis, mochila e coragem vou te dizer. Depois de muito tempo eu resolvi viajar e voar. Eu voei por aí. E vou te dizer como foi.

Eu matei um pedaço de mim meu amor. Vou dizer como foi. Eu matei um pedaço meu e você estava lá. Foi com bisturi. Você não é culpada, ninguém é. Pois todas as cores tem cheiro de cinza. E você não estava lá quando isso aconteceu. Não tinha ninguém. Eu era o único.

Eu comecei a enxergar cinza e você só deu o último golpe. Que culpa você tinha? Você só completou. Você só fez o que todos esperavam. Ninguém imaginaria que eu, não sobreviveria ao cinza.

Mas eu sobrevivi.

Eu estou aqui. Eu pulei na água. Mas a água tem cor de afogamento. Eu estou aqui meu amor. E ninguém notou.

É hora  de viver e seguir; como você, que viajou e voou… Você me encontrou no último golpe. E só sei dizer que as letras me salvaram. Eu só queria dizer que você foi importante e ainda é.

Não sinto mais sua presença, eu sinto apenas, sua falta. Eu andei de mais. Vou te dizer como foi: foi assim. Foi assim, quando todos esperavam, que eu comecei a enxergar cinza. Foi quando eu imaginei que não sobreviveria ao cinza. Foi quanto eu te beijei. Porra. Todo  o resto é interpretação.

https://pseudocontos.wordpress.com/

tequeroperto

tequeroperto

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: