Manifesto do Partido Depressivo – parte I

Rafael Vendetta

Um espectro ronda todas as camas – o espectro da depressão. Todas as potências do velho mundo unem-se numa Santa Aliança para conjurá-la: o psiquiatra e o psicólogo, Diazepam e Vicodin, os hipócritas do bar e os abstêmios dos lares.

Que pessoa com dificuldade de dormir não foi taxada de depressiva pelos que hoje acordam alegremente pela manhã? Qual o matutino que também não lançou contra os vespertinos sistemáticos ou ocasionais o estigma de depressivo?

Onde está o ser humano que não foi vilipendiado pelas suas angústias do cotidiano como depressivo, onde está o ser humano que não tivesse jogado de volta, tanto contra os seus fantasmas internos, a recriminação estigmatizante da depressão?

Duas conclusões decorrem desse fato:

1a. A depressão já é reconhecida como força por todas as potências da Europa;

2.a. É tempo dos depressivos exporem, à face do mundo inteiro, seu modo de ver, seus fins e suas tendências, opondo o inconsciente depressivo à lenda do espectro da depressão. Com este fim, reuniram-se virtualmente, depressivos de várias nacionalidades e redigiram o manifesto seguinte, que será publicado em inglês, francês, alemão, italiano, esperanto e dinamarquês.

[Continuará]

Depressivos de todo o mundo, uni-vos!

 

inka_niclas_photography-40-1050x1573

Photo: Inka Niclas.

https://pseudocontos.wordpress.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: